Rolando o Dado: O que é RPG e como pode te ajudar a escrever um livro?

RPG, ou Role Playing Game, é um jogo que atravessou uma geração, e agora vem chegando para a juventude. Apesar de divertido, para quem não conhece, pode ser confuso e muitas vezes complexo. Mas não precisa ser assim.

Então vamos aproveitar que o ENEM está chegando, e descomplicar (O Descomplica não patrocina este blog, nem o post, infelizmente).

dados-rpg

A primeira coisa que você precisa saber é que no RPG piadas como essas do descomplicar acontecem o tempo todo. Uma atrás da outra, muitas vezes mais do que os narradores gostariam.

E quem são os narradores?

Também conhecidos como Mestres, GMs, DMs, Diretores, Carrascos, e muitos outros nomes, os narradores são jogadores responsáveis por conduzir o jogo. Geralmente, criam histórias e até mesmo mundos, para as personagens habitarem. É um papel que lembra muito o de um escritor.

Porém, o jogo não é para ser jogado sozinho. O RPG é coletivo, e se existe um narrador responsável por guiar os outros jogadores pela trama, quem são esses jogadores?

A quantidade de jogadores em uma mesa de RPG costuma variar de 3 a 6. Cada um terá uma personagem própria, criada usando as regras, que são disponibilizadas em um livro do “Sistema”. Existem incontáveis Sistemas de RPG por aí, sendo os mais famosos: Dungeons and Dragons, Mundo das Trevas (Ou sua nova edição, Crônicas das Trevas), Shadowrunner, e outros títulos como 3D&T, Tormenta e Desafio dos Bandeirantes, que são nacionais.

Em D&D, um dos maiores sistemas, que já chega à Quinta Edição, você cria um personagem para lutar em um mundo medieval, cheio de magia e deuses. Ou não, uma vez que quem cria o mundo é o Mestre (ou Narrador), e ele também define as regras desse lugar. No entanto, em sua ideia original, D&D tem uma ótima pegada de Senhor dos Anéis.

Já em Mundo das Trevas, ou Crônicas das Trevas, vemos uma Terra contemporânea, porém com seres sobrenaturais perambulando por aí e causando problemas. Esse Sistema já foi dividido em muitos títulos solos, que retratam diferentes criaturas do cenário: Vampiro, Lobo e Mago, são os três líderes de vendas do consagrado MdT.

Shadowrunner nos leva a um futuro Cyberpunk, onde diversas raças habitam a Terra e grandes companhias lutam pelo controle das massas.

Mas, no que isso tudo te ajuda como escritor?

 

Primeiramente, se você é escritor, jogar RPG é uma das melhores formas de desenvolver uma narrativa, aprender a contar histórias e entender a cabeça dos seus leitores. Pois, quando se está jogando, principalmente quando você narra o jogo, seu principal objetivo é divertir os outros jogadores e contar uma história bacana. Não uma genial, cheia de reviravoltas e extremamente original. Apenas uma história bacana.

Mas, isso não te impede de criar uma história genial. A maioria dos jogadores adora ser desafiado por uma narrativa intrigante, cheia de surpresas e mind-blowing reviravoltas. E aí que está a segunda razão para se jogar RPG: você aprende a estruturar melhor suas histórias.

Durante uma campanha – como são chamadas as histórias jogadas no RPG – seus jogadores irão explorar um mundo criado por você. E, o ideal, é que você tenha uma estrutura sólida para apresentar a eles. Estruturar uma campanha de RPG, onde você não controla os personagens e os rumos que eles tomarão, é um desafio e tanto para qualquer escritor.

E, é claro, o RPG é um jogo que envolve muita interação. Os jogadores precisam conversar para resolver problemas, e não somente entre eles, mas também precisam interpretar seus personagens sempre que forem pedir uma informação, fazer ameaças ou qualquer coisa.

Nesse aspecto, o jogo funciona como uma peça de Teatro. Você interpreta um ou mais personagens, e interage com um mundo fictício onde coisas fora do comum estão acontecendo. A diferença, é que não há um roteiro a seguir, portanto, você define as falas do seu personagem, e geralmente você não tem muito tempo para pensar nelas. É puramente instintivo.

Ou seja, além de te ajudar a desenvolver narrativa, entender a cabeça dos leitores, criar histórias empolgantes, estruturar essas histórias de forma ampla, combater a timidez e pensar em diálogos rápidos e eficazes, o RPG também é um excelente exercício de Teatro para aqueles que apreciam as artes cênicas.

O RPG teve outras influências na minha vida, mas deixo essas para um próximo post.

 

Agora, pegue um dado e chame seus amigos para viver uma aventura.

 

Caio Vinícius, autor, professor e Mestre de RPG.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s