Os Dois Artistas (E qual você quer ser?)

O Artista Faminto, é aquele old school, que acha que pode fazer tudo sem ajuda, e que espera ser descoberto por sua genialidade interior.

O Artista Triunfante, é aquele que sabe que precisa de ajuda, e que se move, e ajuda outras pessoas para que possa ser descoberto, não por ser um gênio, mas por ter se esforçado.

rads-book-desk-660x495

No livro “Real Artists don’t Starve” (“Artistas de verdade não passam fome”, tradução livre), de Jeff Goins, o leitor é apresentado a dois tipos de artistas. O Faminto, e o Triunfante (Starving Artists e Thriving Artists, em inglês).

Para quem assina minha Newsletter, sabe que uso muitas das ideias de Goins em meus posts, e vou incorporá-las também no curso “Resolvi escrever, e agora?”. Afinal, ele tem uma boa linguagem, e muita coisa interessante a dizer. Chama atenção.

Jeff deixa bem claro quais são as principais diferenças entre os artistas Famintos e os Triunfantes. E eu acho importante fortalecer essa ideia dentro da comunidade brasileira de artistas, escritores ou não. O Artista Triunfante não espera que as coisas aconteçam, ele faz elas acontecerem.

O principal motivo do triunfo desses artistas, é que eles perseguem os seus objetivos. O Artista Faminto escreve e reescreve. O Artista Triunfante escreve, reescreve e expõe. Ele não se deixa ser dominado pelo medo de falhar.

Um roteirista Faminto escreve uma peça teatral e guarda, para que no futuro ele possa entregar na mão de alguém “mais capaz”. O roteirista Triunfante pega essa peça teatral e expõe, produz, posta num blog, mostra para o máximo de pessoas que puder, e se tiver os meios necessários, ele não espera por alguém “mais capaz”, ele vai lá e encena.

33d87d8

O Artista Faminto não pede ajuda. Jamais, de forma alguma. Ele é bom o suficiente, não precisa de mentores, não precisa estudar técnicas. A única coisa que ele precisa fazer, aparentemente, é criar. E, é claro, se ele não pede ajuda a ninguém, não tem porque ajudar os outros.

O Artista Triunfante não tem vergonha de pedir ajuda. Ele sabe que nunca se é bom o suficiente para parar de estudar, ele sabe que os mentores são as pessoas que irão ajudá-lo a seguir no caminho do triunfo. Ele sabe que criar é só uma parte do longo processo. E, quando ele vê uma oportunidade de retribuir a ajuda que recebe, ele faz.

 

O Artista Faminto acha que é o Batman. Ele quer trabalhar sozinho, na escuridão de sua caverna, acompanhado apenas de seus pensamentos e de sua arte. Porém, ele esquece que o Batman nunca trabalha sozinho.

O Artista Triunfante é como o Robin. Ele busca por um mentor, faz o possível para ajudá-lo e para ajudar as pessoas ao seu redor, e sabe que não chegará a lugar algum sozinho em uma caverna escura. Ele sabe que precisa do Batman para crescer e aprender, mas também sabe que, às vezes, o Batman vai precisar dele também.

 

Caio Vinícius, autor e professor.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s